sábado, 28 de fevereiro de 2009

Plágio criativo

Essas figuraças aí do lado formam a banda australiana The Axis of Awesome. Eles fizeram uma divertidíssima brincadeira musical pegando pedaços de 35 músicas, grandes sucessos de diferentes bandas e artistas, e transformando numa única música, intitulada "Four Chords". O resultado é sensacional. A canção abre com os reconhecidíssimos primeiros acordes de "Don't stop believing" do Journey, e segue passando por coisas tão homogêneas como Alicia Keys, Black Eyed Peas, Lighthouse Family, Maroon 5, U2, Beatles, Michael Jackson, A-ha, Blink-182 e por aí vai. E o pior é que eles conseguem fazer combinar. A música virou um clip tosco, que foi parar no You Tube, e virou hit instantâneo.

Dêem uma olhada aqui.

Simplesmente genial.

Nervos de aço

O PIB americano acaba de apresentar o pior resultado desde 1982, recuando 6,2% no último quadrimestre de 2008; o consumo caiu 4,3%, maior queda desde 1980; as exportações despencaram 23,6%, pior índice desde 1971; os investimentos foram reduzidos em 21,1%, maior redução desde 1975.

O caldeirão ferve de derreter chumbo e o homem aparece totalmente relax tomando sua brejinha e assistindo seu basquetinho. Cool as ice!

Se vai se dar bem, não sabemos. Mas que esse cara tem culhão, tem. Ou então é maluco.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Cada um tem o que merece

Seguranças do edifício Itália impedem assalto em SP
Portal Terra - 27 de fevereiro de 2009 • 16h12 • atualizado às 16h24

Seguranças do edifício Itália, um dos pontos turísticos mais importantes de São Paulo, impediram um assalto ao dominarem suspeitos no começo desta tarde.

Esta notícia me dá uma certa dó dos paulistanos. Não pelo assalto, que isso é corriqueiro tanto lá como cá. Mas pela frase em negrito.

Nós temos o Corcovado, o Pão de Açucar, Copacabana, Lagoa Rodrigo de Freitas, entre outras inúmeras opções de turismo e lazer. Eles têm o Parque do Ibirapuera, o Minhocão e o Edifício Itália.

Não é à toa que possuem o maior PIB do país. Só ganhando muito dinheiro para viver numa cidade destas.

Parabéns, Rio! Parabéns, sr. Prefeito!

A Prefeitura do Rio de Janeiro acaba de nos dar o maior presentão pelo aniversário de 444 anos da cidade, a ser comemorado no domingo, dia 01 de março.

Foi cancelado o show que seria realizado na Enseada de Botafogo! O "espetáculo" contaria com as "brilhantes" presenças de Afro Samba, Pixote, Sorriso Maroto, Leandro Sapucahy, Arlindo Cruz, Perla, Bonde dos Havaianos e MC Marcinho.

Segundo a Prefeitura, a medida foi tomada para garantir a segurança da população.

Substituam na frase acima o termo "segurança" por "salubridade musical", e terão o real e melhor motivo para este oportuno cancelamento.

Obrigado, sr. Prefeito! MUITO OBRIGADO!

Páreo para o Lula

Este primeiro ministro da Itália é uma figura inacreditável. O cara já foi filmado comendo meleca, referiu-se ao Barack Obama como "jovem, bonito e bronzeado", e agora me sai com mais essa:
"Moi je t'ai donné la tua donna" ou em bom português, "Eu lhei dei sua mulher".
A pérola foi sussurada, em meio a uma coletiva de imprensa, ao pé do ouvido do presidente da França, Nicolas Sarkozy, referindo-se à esposa deste, a deusa Carla Bruni. A troco de quê a anta falou isso, ninguém sabe. Ou melhor, o Sarcozy deve saber, já que sua reação ao gracejo foi um singelo sorriso amarelo sem-graça.

A catiguria deste Berlusconi me lembra muito a de um certo presidente garanhuense...

Colorindo o futebol

GLOBOESPORTE.COM
Atualizado em 27/02/09 - 13h35
Cartão laranja e outras novidades podem invadir o futebol neste ano
O jogador do seu time comete uma falta mais dura no adversário. O árbitro se aproxima dele e se prepara para mostrar o cartão. A partir deste ano, essa história poderá ter um final a mais. Além do amarelo e do vermelho, entra em cena o cartão laranja - que não apenas adverte nem expulsa definitivamente. A novidade, que excluiria o jogador da partida por alguns minutos, será votada neste sábado pela International Board, na Irlanda do Norte, em reunião a partir de 6h30m (de Brasília). Se for aprovada, será a primeira grande mudança nas regras do futebol depois de nove anos.
Já que estão incluindo mais cores nos cartões de advertência, proponho a criação de um cartão cor-de-rosa. Seria dado quando jogadores másculos como o Bicharlyson, do São Paulo, ou o Thiago Neves, do Florminense, cometesse alguma falta antiética como puxão de cabelo, arranhão ou patolada. Também seria aplicado em comemorações de gols no estilo troca de beijinhos ou dança da bundinha. A punição poderia ser a exclusão da biba, digo, do jogador, durante os 24 primeiros minutos do próximo jogo.

Chupado do blog alheio 2

Transcrito diretamente do blog Page Not Found, do Fernando Moreira

Por causa de aposta, russo exagera no Viagra e morre

O russo Sergey Tuganov, de 28 anos, apostou com duas mulheres que daria conta delas durante uma maratona sexual de 12 horas, sem intervalos. Para garantir a performance, ele encheu uma garrafa com pílulas de Viagra. Tudo para ganhar o equivalente a cerca de 10 mil reais. Conforme ia tendo relações com as mulheres, Sergey ia engolindo pílulas (sim, pílulas!!!) do aditivo sexual. Como era de se esperar, Sergey venceu a aposta, mas, logo após os louros da vitória na orgia, o russo caiu duro - sem trocadilho. A overdose provocou um enfarte fulminante. Uma das mulheres, identificada como Alina, disse: "Chamamos os serviços de emergência, mas já era tarde demais". Provavelmente, o caixão de Sergey deverá ficar fechado, para evitar constrangimentos.

Meu comentário: Lição aprendida. Vou tomar muito mais cuidado daqui por diante.

Chupado do blog alheio 1

Transcrito diretamente do blog Kibe Loco:

A SEGA E OS CEGOS
Polícia divulga imagens de sequestrador no Distrito Federal

A polícia de Brasília divulgou imagens de um homem que manteve uma refém sob a mira de sua arma por dez horas. Apesar das ameaças, o bandido não atirou e rendeu-se sem fazer exigências. E nem poderia. Afinal, não dá para fazer muita coisa com uma pistola de Master System…
Dez horas! O novo recorde na categoria “Sequestro mais longo com arma de videogame dos anos 90 é do Brasil-il-il!
Meu comentário: Tem como não amar a polícia deste país? Que preparo! Que sagacidade!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Carnaval, uma bad trip

Sexta-feira, dia 20 - O falso embarque
Dia de sair em viagem é sempre agitado. Arruma mala, tira dinheiro, atualiza IPod, compra charuto, capricha no make-up, compra cueca nova, escolhe livro pra levar, reforça o estoque de camisinha e aspirina. A sexta foi um típico dia de sair em viagem. Exceto que não saímos em viagem. Um problema técnico-burrocrático não permitiu que pegássemos nosso transporte. Fazer o quê? Anime-se, é carnaval! Tudo se resolverá amanhã! Decidimos então, eu e meu caro amigo de aventuras (ou seria melhor dizer de infortúnios?) Sr.M, abrir os trabalhos no Rio mesmo e começar a encher a lata. Mal sabíamos que aquela seria nossa melhor noite de carnaval.

Sábado, dia 21 - Uma loooonga viagem
O problema técnico-burrocrático que nos impediu de pegarmos a estrada na noite anterior demorou um pouco mais do que prevíamos para ser resolvido. Só conseguimos sair do Leme por volta de onze da manhã. Quando o relógio marcava meio-dia e dez minutos, toca o telefone celular de Sr.M. Outro problema, este mais burrocrático que técnico, nos acometeu. Tivemos que RETORNAR ao Rio, mais precisamente ao Aterro do Flamengo, o que atrasou nossa viagem em pelo menos uma hora e meia. Nosso veículo, um poderoso Celta 1.0 duas portas sem ar, não ajudava em nada para fazer deste pequeno contratempo uma experiência menos desagradável. Além disso, o passeio extra com meu braço direito ultra branco inadivertidamente exposto aos potentes raios solares do verão carioca me causou uma queimadura de 2o. grau que está ardendo até agora e apresentando uma série de bolhas.

Resolvido mais este percalço, voltamos à estrada. Nosso desafio agora era tentar chegar a algum lugar civilizado até às quatro horas da tarde, quando começaria a facílima e previsível semifinal da Taça GB Mengão Fuderosão x o diminuto e ridículo Resende. Após um certo stress, pois o lugar civilizado simplesmente não surgia, conseguimos finalmente encontrar um bar com SKY, às 16:15 minutos. O estabelecimento ostentava o sugestivo nome de "Chora Morena". Muito adequado, como se veria na próxima hora e meia. Deu-se a tragédia, e Davi, surpreendendo o mundo, derrubou Golias em pleno primeiro dia de folia. Confesso que o fato me causou um certo desconforto. O clima momesco não permitiu que atingisse o nível de um mau humor crônico, muito menos o da agressividade gratuita e descontrolada, o que seria de se esperar de mim depois desta verdadeira desgraça. Retomamos nossa agradável viagem por mais uns quarenta minutos até nosso destino final, uma pacata (eu achava, naquela altura) cidade no interior de Minas que chamaremos aqui simplesmente SJN.

Oito horas depois de sair do Leme, chegamos nós, enfim, em SJN. A temperatura, confesso, surpreendeu-me um pouco. Eram sete da noite afinal, esperava-se um clima ameno típico das regiões serranas de Minas. Ledo engano. Isso serve para Caxambu, Cambuquira e imediações. Em SJN, faz um calor senegalesco. Tenho certeza que esta informação não me foi passada na hora de decidir pela viagem.

Chegando ao hotel, verificamos que era muito próximo da principal cena foliã da cidade. Excessivamente próximo, como aprenderíamos a duras penas nos dias que seguiriam. Arlindo, o dono do hotel, deve ser um ambientalista extremamente preocupado com o efeito estufa. Seu hotel é de tal forma socialmente responsável que ele não queima nenhum tipo de gás tóxico com refrigeração. Os quartos não dispõe de ar condicionado ou frigobar. Um discreto ventilador de teto tenta pateticamente manter a temperatura do quarto abaixo do ponto de ebulição. Neste momento, comecei a me preocupar.

Após um banho que eu desejava fôsse frio, mas que se realizou em temperatura ambiente, decidimos ir para a cidade confraternizar com os locais, em especial com as locais. Logo descobrimos o bar do maior clube da cidade, o Botafogo FC. Em qualquer outra situação jamais entraria em um estabelecimento com um nome infeliz destes. Mas meu desespero por alguma coisa gelada inibiram minhas convicções clubísticas. E, para minha surpresa, tinha Original e supergelada. Esperanças renovadas sobre o Carnaval.

Este primeiro dia não foi muito proveitoso em termos sociais. Estávamos extenuados da viagem e das emoções do dia. Umas doze cervejas depois, retornamos ao forno, digo, hotel, para uma bela e revigorante noite de sono.

Domingo, dia 22 - Caindo na real
A noite de sono não foi bela, não foi revigorante, e muito menos de sono. Como posso ilustrá-la? Foi como fazer uma sauna desmaiado. Mas pelo menos consegui sair durante algumas horas do estado de consciência. Meu amigo M nem isso. Teve que suportar a noite praticamente em claro, sendo assado em fogo brando.

Nos encontramos na porta do hotel e fomos procurar local para comer. As opções eram restritas. Paramos no Botafogo, coisa que fizemos com alguma constância nos últimos quatro dias. Cerveja gelada, comida honesta, preços justos, era muito mais do poderíamos exigir naquele buraco, digo, cidade.

Vocês lembram daquele surpreendente calorzinho da noite citado há pouco? Virou o caldeirão do inferno. Faz o Rio parecer Viena no outono. E a cidade começou a encher. Muito. Pessoas ocupavam todos os possíveis espaços de refúgio ao sol existentes, exceto o Botafogo. Caro demais aos padrões turísticos locais, acho eu. E logo o carnaval começou. Não há samba em SJN. Só funk e axé. É como se o Complexo do Alemão tivesse se instalado em plena Praça Castro Alves, em Salvador. Tomamos mais uma dezena de Originais e fomos tentar descansar para a noite que se antevia longa. Não conseguimos. O hotel mostrou-se uma verdadeira caixa de ressonância dos trios elétricos, bares e automóveis esporrentos que urravam em altos brados toda aquela total ausência de qualidade musical. Mas pelo menos no quarto tinha sombra e chuveiro, o que me permitiu chegar ao fim do dia sem ter que apelar para soro caseiro ou talhos nos pulsos.

A segunda noite parecia mais promissora. A cidade estava animada, o calor cedeu (um pouco). Encontramos um segundo point, o Magrão's. Uma tequila por três, duas por cinco. Se eu tivesse ido para o México, não teria tomado tanta tequila. Foi o que me manteve vivo e são naquelas três noites em SJN. Bem, lendo isso, vocês vão achar que a gente viajou só pra beber. Claro que não foi só para isso. Pretendíamos comer também. Comida mineira, e mineiras, e não necessariamente nesta ordem. E aí é que morou o problema.

Um estranho fenômeno ocorre em SJN. Existe um pitoresco gap entre as mulheres da cidade. Ou você é uma jovem colegial, bonita, agitada, disponível, sexualmente ativa, e menor de idade, ou é uma cinquentona casada, caída, ainda muito animada, mas de um jeito que lembra perigosamente a Naná do Big Brother. Mulheres com idade entre 21 e 45 anos praticamente inexistem neste lugar. Nossa teoria é que elas só aguardam acabar o colegial para desaparecer dali, e só voltar depois de aposentada, para morrer próxima aos seus.

Isto dificultou muito nosso entrosamento com a população feminina local. Fato este agravado e muito pela concorrência desleal. Hordas de sarados playboys eram despejados a cada meia-hora por inúmeros ônibus super-lotados oriundos do Rio e outras localidades próximas. Muito mais adequados à reprodução em larga escala do que dois quarentões, sendo um gordo e o outro um baixinho careca. Nossa vida ali tornava-se a cada hora mais difícil. Haja tequila.

Bebi até a beira do coma, estado que pretendia atingir imediatamente ao chegar no quarto do hotel, única maneira de conseguir dormir com todo aquele calor e barulho.

Segunda-feira, dia 23 - Última noite, finalmente
Segunda de carnaval. Imaginem o domingo, com cinco graus centígrados a mais. Nunca antes nesse país se viu tanto calor. E não havia cerveja gelada em nenhum local da cidade - nem no Botafogo. Todas tinhas sido consumidas na noite/madrugada/manhã anterior. Foi o dia mais longo de minha vida. Meu amigo M, completando a segunda noite sem dormir, resolveu se aventurar em alguma cachoeira. Só me restou recolher-me ao quarto e torcer para o pesadelo acabar.

Mas emoções ainda estariam guardadas para este dia. Era o dia do Bloco do Barril, maior evento carnavalesco de SJN. Eram aguardadas mais de vinte mil pessoas para o desfile. Eu mal me continha de tanta excitação. A promessa era que o bloco saísse às seis horas. Fui para a praça, animadíssimo.

(Desculpem, interrompo aqui este dramático relato porque acabo de saber pelo Jornal Hoje de uma notícia bombástica: o ônibus que transportava o grupo de pagode Exaltasamba tombou em algum lugar em Santa Catarina. Parece o que vocalista Péricles está internado. Alguma boa notícia eu tinha que ter neste carnaval. Findo o boletim, retorno à história.)

Quando botei a cara para fora do hotel, sem que desse tempo para Noé fazer nem um barquinho de papel fôsse, caiu um temporal de proporções diluvianas. Uma leeeeve chuva de verão que durou mais de uma hora. Não refrescou em nada a temperatura - a água já descia quente. Não alagou nada - aparentemente, a drenagem da cidade é melhor que a do estádio de Wembley. E muito menos cancelou o Bloco do Barril. Isso é que eu chamo de chuvarada inútil.

Toda a água, e não foi pouca, não foi capaz de diminuir em nada a energia do povo em torno do bloco. Centenas de foliões fantasiados como se fossêm fazer figuração em algum filme do David Linch dirigiam-se ensandecidos ao ponto de concentração do bloco. Fui até lá checar. Arrependi-me imediatamente e voltei rapidinho para minha zona de conforto, o Magrão's. Em tempo: o Botafogo FC, único distribuidor de Originais da cidade, encontrava-se fechado por motivos de segurança, segundo fui informado. Não era para menos: a turba do bloco, uma parede humana descontrolada, parecia realmente ameaçadora. E o nível de alcoolismo geral era estratosférico. Aquilo realmente não tinha como acabar bem.

O bloco finalmente saiu, com umas três horas de atraso. A trilha sonora, pelo menos, não era detestável. Samba-enredo, em sua maioria. Ajudou-me a suportar toda a passagem. Isso, e os oito shots de tequila que já havia bebido até aquele momento. O bloco era tão unido, junto e misturado, que não se sabia onde terminava uma pessoa e começava a outra.

De bom mesmo, só a descoberta da barraca da Adripoca, que vende um petisco absolutamente matador que consiste basicamente em torrões de parmesão fritinhos vendidos em saquinhos de pipoca. Um ótimo companheiro para jornadas etílicas. Avisei à Adriana, dona da barraca, que vou roubar a idéia dela e divulgá-la no Rio, sob o nome de Cheesepoca. Ficarei milionário, vou comprar SJN, e mandar instalar condicionadores de ar em todos os bares, restaurantes e hotéis de lá. Tornar-me-ei uma lenda na cidade.

Depois da décima-segunda tequila, decidi que já tinha dado pra mim. Precisava acordar cedo para retornar ao Rio na manhã seguinte. E nada me deixava mais feliz que a possibilidade de não passar outra noite naquele lugar.

Terça-feira, dia 24 - Enfim, Rio de Janeiro, local de onde jamais deveria ter saído
Tudo correu bem na viagem de volta, à exceção de uma quase derrapada na estrada, de uma tempestade que impediu nossa visibilidade em metade da serra e em Duque de Caxias, e do táxi que quebrou no caminho do aeroporto, aonde fomos entregar o carro, para casa. Nada que se compare ao turbilhão de emoções que vivi nestes dias de folia.

Lição final: Se você tem de 17 a 20 anos, não é um quasímodo, gosta de micaretas e afins, e não se importa com calor intenso, seu lugar é em SJN; a vida sorrirá para você. Com mais de quarenta, nem pensar.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Péssima escolha

Três albergues atacados em três dias. O que esses estúpidos bandidos estão querendo fazer? Uma terceira versão tupiniquim do filme do Eli Roth?

Alguém explique para esses meliantes que assaltar turistas NÃO É BOM NEGÓCIO para ninguém. A cidade torna-se menos atrativa. O povo da cidade vê a renda do turismo minguar. O turista, coitado, a vítima, nem se fala. E até para você, ladrão imbecil, que vai ser muito mais caçado pela polícia do que se assaltasse um carioca, mais habituado com os procedimentos criminalísticos locais.

Assaltar em albergues então, que só tem turista duro, é de uma burrice acachapante.

Parem com esta pôrra e voltem ao tráfico de drogas e assaltos a banco, por favor.

Terra de gigantes

Respondam rápido: na foto ao lado, vemos o menor homem adulto do mundo, ou a maior criança de três anos do mundo?

Acertou quem escolheu a primeira opção. Esse carinha aí tem 20 anos, incríveis 74 cm, e pesa 7 quilos. Está em ótima forma. Fuma um maço de cigarros por dia, o inconsequente. Sosseguem, antitabagistas. Este fato não tem nada a ver com o minúsculo tamanho do rapaz. Ele sofre de um tipo raro de ananismo. Não confundir, por favor, com onanismo, prática muito difundida que não faz nada diminuir, só crescer.

He Ping Ping (simpático o nome dele, não?) diz que basta um nugget por refeição para alimentá-lo. Super econômico. A parte ruim é que ele sempre vai precisar de alguém por perto para pegar pra ele o tal nugget no freezer.

Sutileza americana

E a charge do New York Post, hein? Está dando uma bulha danada, o jornal teve até que se desculpar publicamente.

O cara que fez esta charge, Sam Delonas, não é exatamente conhecido por ser um defensor ferrenho das igualdades raciais. Mas a frase "Vão ter de encontrar outro para escrever o pacote de estímulo", proferida diante de um macaco assassinado (referência ao Travis, gorila de estimação que foi morto nos EUA depois que atacou violentamente uma amiga da sua dona) é mensagem explícita demais até para um racista fanático. A assossiação imediata com a negritude de Obama é tão escandalosa que eu custo a crer tenha sido intencional. Prefiro acreditar na versão "soft": Delonas quis dizer, com sua "fina" ironia, que ele acha o plano econômico de Obama tão ruim que parecia ter sido escrito por um macaco.

Certo, isso também não soou muito bem. E olhem que eu sou um paladino da incorreção política.

Sendo assim, me rendo à opinião da maioria. Sam, repita comigo: "Fui muito infeliz na minha tentativa de ser engraçado. Prometo melhorar da próxima vez".

Continuo espiando

O BBB9 está eletrizante. Não sei como passarei os quatro dias de carná sem meu pay-per-view. Mas, enquanto há vida, há esperança: que sabe conheço algum lunático - ou melhor ainda, uma lunática - em São João do Nepomuceno que tenha acesso ao BBB 24 horas e queira compartilhá-lo com um carioca limpinho e bem humorado. Isso me lembra que preciso arrumar também um lugar para ver Fla x Resende, amanhã. Digressiono. Voltemos ao BBB eletrizante.

Flávio, a divertida bichinha enrustida desta edição, é o protagonista da hora, e saiu de pedra à vidraça. Na festa de quarta, teve que resistir estoicamente ao assédio da novata Maíra (que não entrou na casa à passeio, está determinada a conseguir diversão ligeira embaixo de edredons, para desespero das outras maneaters da casa, Milena e Pri). Mas resistiu tanto que quase teve que sair do armário para mostrar à moça que aquela não era exatamente a praia dele, fazer o quê. Ontem, na prova do líder, deu mole (sem trocadilho) numa jogada, passou uma traiçoeira rasteira na amiga Milena, e colocou a liderança no colo da Ana Carolina, que, com este nome, só poderia ser a mala que é. E ficou chorando pelos cantos, arrependido, tentando se livrar da ira de sua galera e do provável paredão que vai ter que encarar na terça-feira gorda.

Flavito, para você, só um conselho. Assuma-se, santa. Aproveite o clima carnavalesco. Quem sabe a produção não te descola um convite para o Gala G.

Muita calma nessa hora

Kate Winslet diz que não fará mais cenas nua em filmes

"Acho que não ficaria nua em um filme novamente", declarou Kate Winslet em entrevista à revista Time. A atriz, que já apareceu sem roupa em dez filmes, garante que não vai mais mostrar tanto seu corpo nos próximos trabalhos.

OK, Kate. Até concordo que ficar pelada em dez filmes diferentes é registro público do seu corpitcho o suficiente para aplacar o mais tarado de seus fãs, dentre os quais me incluo, diga-se de passagem. Mas não sejamos precipitados. Tomar uma decisão difícil como essa, que afeta a vida de inúmeras pessoas, necessita muita reflexão. Proponho que você pense sobre isso durantes uns... quinze anos. Com cinquentinha, acho que você estará pronta a dar este importante passo. E, quando chegar lá, não vamos sentir muito a falta, mesmo.

O Carnaval é a maior caricatura...

Não gosto de carnaval. Mal gosto de samba, na verdade. Normalmente, nestes quatro dias, me isolo em lugares remotos e evito ao máximo qualquer tipo de exposição à folia generalizada.

Mas há que se dar a César o que é de César: que outra festividade, celebração, feriado ou evento motiva tanto mulheres a ficarem bonitas e saradas quase no limite da perfeição? Olhem pra estas duas supercougars de 43 e 45 anos, respectivamente. O que é isso, galera?

Tem como não agradecer ao Carnaval?

Mas não nos esqueçamos dos nutricionistas, personal trainers e cirurgiões plásticos, estes importantes profissionais que aproveitam essa forte onda motivacional para realizar seu nobre trabalho. Congratulations, guys, for a job well done.

Alvíssaras esportivas

Duas boas notícias do mundo do esporte me animaram nesta manhã.

Richard Branson, excêntrico milionário britânico, dono do império Virgin, está negociando a compra da equipe Honda de F1. Isso faria um bem danado à principal categoria do automobilismo mundial. Este cara é uma figuraça impagável, um aventureiro playboy e bon-vivant que apronta à balde em tudo em que se mete, e não seria diferente na F1. Vai garantir mais uma equipe no grid, e abrir caminho para mais um brazuca, no caso o Bruno Senna. Welcome, Branson.

Tudo indica que Roberto Dinamite vai jogar mais uma pá de terra no nefasto caixão em que se enterrou Eurico Miranda. Contrariando o passado belicoso do rotundo ex-deputado, o atual presidente vascaíno, mostrando que é craque também fora do campo, vai retirar a ação no STJD onde contesta a perda (injusta, já me pronunciei sobre isso aqui) de pontos que seu clube sofreu, trazendo paz a um campeonato que parecia condenado ao caos jurídico e esportivo, e ao fracasso de público e crítica. Parabéns, Bob, recuar não é se render. Quase torço para que seu time se dê bem no segundo turno.

Pernas curtas

Logo que aconteceu o rumoroso caso da advogada brasileira "agredida" na Suíça, minha primeira reação, foi, claro, de indignação. E, de imediato, quis expressá-la neste blog. Mas não o fiz. Não sei exatamente o porquê, mas alguma coisa não me pareceu certa.

O que se viu depois foi um legista com cara de ex-oficial da SS afirmar que a moça não estava grávida de gêmeos, como afirmara, e que na verdade não fora agredida por nenhum neonazista, e sim se autoflagelara. O Brasil - governo e povo - se mobilizou ruidosamente em solidariedade à moça. Eu continuei quieto no meu canto.

Agora parece que a advogada confessou a "mentirinha" que quase provocou um incidente internacional. A Suiça a proibiu de sair de lá, e quer responsabilizá-la judicialmente pela "travessura". Ela põe a culpa no lúpus que a acomete, e que, segundo ela, a faz ter delírios - os médicos discordam, não acham que lúpus cause este tipo de reação. Antes solidários, os brasileiros agora estão indignados com a moça, por achar que ela prejudica ainda mais nossa já combalida imagem no exterior. Aí eu cansei de não me pronunciar.

QUE LAMBANÇA!

Como uma única e anônima jovem de 26 anos consegue causar tanto escarcéu entre dois países? Tranquem esta louca num hospício, correndo, e bem longe de objetos cortantes.

Bem, finalmente consegui postar sobre o assunto. Mas, não sei porque, continuo com aquela sensação esquisita de que algo ainda está fora do lugar. Acho que ainda vai passar água embaixo desta ponte.

Universo paralelo

Influenciado por Pantera, 'criador do axé' grava disco de rock

Roqueiros do Brasil, se preparem para o novo ídolo do rock nacional: Luiz Caldas. Pelo menos é isso que o músico baiano, auto-proclamado “criador da axé music”, está prometendo para 2009.


São tantas as heresias contidas nesta notícia que não sei nem por onde começar a comentar. O homem que fez "Fricote" quer tocar rock and roll. Olhem para a foto acima. Vejam a "atitude roquenrou" deste senhor. Sigamos.

O cantor, que adotou o tênis All Star para os pés (Caldas é conhecido por se apresentar descalço), diz que o disco é eclético, com músicas indo do rockabilly ao punk, passando por baladas e “músicas mais lisérgicas, como Pink Floyd”.

Leio isso e penso: morri e estou no inferno. Só pode ser castigo porque sou ateu. Me perdoa, Deus, nada me levava a crer em sua existência. Poupe-me desta cruel tortura, por favor.

Segundo Caldas, o projeto, que inclui discos de samba, forró, axé, mpb e até um álbum com letras em tupi, foi inspirado por George Harrison. “Quando George saiu dos Beatles, ele lançou um disco triplo, de tanto material que ele tinha acumulado. Eu não posso ficar atrás dele, né?”, desafia.

Ele se comparou a um dos Beatles. Isso só pode ser um delírio provocado por minha constante ingestão conjunta de múltiplas bebidas alcoólicas, viagra falsificado e remédios para diabetes. Minha visão está turva, meu estômago embrulhando. Alguém chame os paramédicos.

Além de já sonhar com o Grammy, Caldas quer fazer o projeto chegar a ídolos específicos: Quincy Jones (o produtor de “Thirller”, de Michael Jackson); Bono, vocalista do U2; e o presidente dos EUA Barack Obama – “Quero dizer a Obama que sou o inventor da ‘new black music’ que é o axé, a música negra brasileira”.

Esqueçam os paramédicos. Quero um Brahma Black de 500 ml, com cicuta e estricnina dentro.

Fui.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Filme para quem palita os dentes sem se preocupar em por mão em conchinha na frente pra esconder

Para manter o nível de testosterona em alta nos intervalos da folia momesca, aqui vai uma dica de filme do estilo que todo macho heterossexual do sexo masculino se amarra. Desliguem o cérebro para vê-lo, não vão precisar dele. Bad guys, hot chicks, fast cars, and lots and lots of bullits and blood. Corram à locadora mais próxima e peguem Corrida Mortal (Death Race). Diversão ultraviolenta para toda a família.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Há males que vêm para bem


Manchete do portal IG Educação hoje:

Gigantesco bloco de gelo se rompe na Península da Antártida

Um gigantesco bloco de gelo, maior que a ilha do Havaí, se desprendeu da placa de gelo de Wilkins, na Península da Antártida. Segundo informações do Conselho Superior de Pesquisas Científicas, CSIC, da Espanha, o bloco se separou do continente devido aos efeitos do Aquecimento Global.

Matéria publicada hoje às 05h30m no Globo On Line

Antártica tem perda recorde de gelo

Uma placa de 14 mil quilômetros quadrados da plataforma de gelo Wilkins, na Península Antártica, está se desprendendo devido ao aquecimento global, como mostra matéria publicada no jornal O Globo. Pelo menos 25% da placa já se fragmentaram, e foram avistados enormes icebergs de mais de 200 metros de altura dispersos pelo Oceano Austral. O fenômeno aumentará o nível do mar.

Qualquer nome que se queira dar ao continente gelado, Antártida, Antártica, na verdade os dois são certos, essa é uma notícia preocupante. O tal global warming do Al Gore está mostrando forte sua cara. Imaginem um bloco de gelo de 14 mil quilômetros quadrados e duzentos metros de altura vagando pelo Atlântico Sul. Derretendo, vai elevar em sei lá quanto o nível do mar! Pode inundar partes de países como a Argentina, por exemplo, que fica ali pertinho!

Hummm... Pensando bem, talvez essa notícia não seja totalmente ruim.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Avestruz

Velha raposa com mais de 40 anos de vida pública, o senador do PMDB Jarbas Vasconcelos resolveu jogar a merda no ventilador e saiu atirando no seu partido e no governo molusco. Chamou todo mundo de corrupto para baixo. E o que partido e governo fizeram? Nada. Fingiram que não era com eles. Daqui a uma semana ninguém lembra mesmo, porque se manifestar?

Esse é o Brasil do Lula. O povo finge que não vê, eles fingem que as falcatruas não existem. O governo possui 84% de aprovação, apesar de todos os escândalos que aconteceram nos últimos sete anos. Porque então tentar agir corretamente? Porque se preocupar em esclarecer qualquer denúncia? O povo, assim como seu presidente, não lê revistas ou jornais. Só entra na internet para ver sacanagem ou votar no BBB. Só quer saber do seu bolsa-esmola no fim do mês.

E este desgoverno tem tudo para se perpetuar no poder. Eles se utilizam das práticas mais podres do coronelismo que tanto atacavam quando eram da oposição, só que aprimoradas e amplificadas, para melhor serem aplicadas em âmbito nacional. Lula passeia desavergonhadamente com Dilma em descarada campanha, distribuindo quilos de discursos popularescos, mentiras deslavadas, promessas infundadas, dados falsos e pseudobondades, e ninguém faz ou fala rigorosamente nada. Os tribunais eleitorais e a oposição, talvez com medo da avassaladora popularidade do barbudo, se calam covardemente.

Ética, definitivamente, virou apenas assunto de debates acadêmicos, sem nenhum efeito prático. Pobres dos 14% que ainda acreditam que responsabilidade, competência e honestidade são características essenciais para quem pretende exercer qualquer forma de poder, seja na esfera pública ou privada. Que se mudem para a Dinamarca. Talvez lá uma parcela maior da população se preocupe mais com este tipo de futilidades.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Rivalidade histórica


Piquet e Senna juntos de novo, na F1?

Mesmo com a metade do talento - talvez menos - impossível não se animar com a idéia.

Que estes meninos saibam honrar tão nobre linhagem.

Enquete pertinente

O caderno Rio Show de O Globo, em sua edição on-line, está fazendo uma interessante pesquisa: das principais atrações internacionais agendadas para tocar no Brasil, qual não se pode perder de jeito nenhum? Bem, responderei a esta estimulante questão nas próximas linhas.
Os shows programados são:

Simply Red -> Já os vi antes num dos jurássicos Hollywood Rock. São bons, mas passarei sem;
Backstreet Boys -> Preciso responder? Mataria estes caras, se não fôsse contra a lei;
Keane -> Não tiro sua qualidade, mas não faz meu gênero;
Simple Plan -> Hummm... Idem Keane;
Iron Maiden -> Vi esta lenda viva há mil anos, num certo festival chamado Rock in Rio - sim, o original, que deu origem à serie. Detonaram forte. Não está no meu topten das maiores. Mas se tiver de bob, verei de novo;
Radiohead -> Taí uns caras que são endeusados, mas que eu nunca achei grande coisa. Talvez eu vá, para tentar mudar de idéia. Neste caso, não posso ser o único certo;
A-Ha -> Já emiti minha opinião sobre eles aqui no blog; lamentaria até se estivessem aqui apenas à passeio. Para trabalhar, então...
The B-52´s -> Coincidentemente, também já os vi no primeiro RiR, nos idos de 1985. E, para mim, foi mais do que suficiente;
KISS -> Maracanã, 1983. Experientei ali ácido pela primeira vez (vindo diretamente da Austrália, valeu Pedrão, tinha o ícaro da Swan Song estampado). Um dos grandes shows da minha vida, independente de estar totalmente alucinado. Quase fui atropelado por um 422 na volta pra casa. Rock and roll all nite, and party every day. Nos vemos lá, apesar ser na Apoteose (fuck!).
Heaven & Hell -> Cara, Ronnie James Dio e Tony Iommi, mesmo vetustos, dá pra perder não. É Black Sabbath na veia, véio!
Dois potenciais, dois certos, em dois meses. Vou começar a juntar a grana.

"Se ele pode, eu posso também": que perigo!

Chávez vence referendo e conquista reeleição ilimitada

A emenda constitucional que coloca fim ao limite para a reeleição aos cargos públicos foi aprovada neste domingo com 54,36% dos votos.

E Lula suspira, imaginando-se venezuelano. A inveja é uma merda.

Lei seca nos mares, já.

Submarinos francês e britânico com ogivas nucleares colidem
16 de fevereiro de 2009 • 08h12 • atualizado às 08h12

Dois submarinos nucleares, um da marinha real britânica e outro das forças navais francesas, envolveram-se em um acidente durante manobras no Oceano Atlântico no começo do mês, informa nesta segunda feira a edição online da rede americana CNN.

Batida de submarinos?? Quem eram os comandantes? Naná e Nonô do Big Brother? E a gente achando que o Detran é que não prestava...

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Só acaba quando termina

Já virou rotina: pela quinta vez neste turno o Mengão se safou na última volta do ponteiro. E mais uma vez jogou muito mal. Conseguiu tomar sufoco do timeco do Foguinho, que poderia ter matado o jogo em quatro oportunidades, mas as desperdiçou bisonhamente. O Botafogo estava muito a fim de jogo, o Flamengo nem tanto. O Fla só conseguiu superar o Botinha nos dez minutos finais, quando este já estava desmoronando de estafa, com seguidos jogadores despencando no chão, em cãimbras. Já está mais do que na hora do Cuca barrar o Obina. Nosso outrora xodó perdeu outro pênalti, foi peça nula em campo, e Josiel, que o substituiu, logo criou três perigosas chances de gol, salvas por um Renan inspirado, talvez o melhor do jogo junto com o atacante Reinaldo. E Josiel, de novo, salvou o Mengo marcando o gol no último lance da partida. Agora é torcer para o TJD manter a (injusta) punição ao Asquinho da Gama pra gente pegar o poderoso Resende na semi. Moleza é bom e todo mundo gosta.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

A Suderj informa: sai Duane, entra Eric!

Eric Clapton vai se juntar aos Allman Brothers em dois shows em Nova York

Isso vai ser grande. Clapton vai "substituir" o monstro Duane Allman, morto em acidente de moto em 71, nesta comemoração de 40 anos de carreira da maior banda de southern rock de todos os tempos. Estarei lá em espírito.
Para quem não conhece, indico fortemente "From The Madness Of The West". Trata-se de um petardo instrumental para ser ouvido em decibéis everestianos.

Franca recuperação

Parece que a Cléo Pires vai se recuperar rapidamente da autosabotagem que aplicou em sua carreira quando aceitou interpretar a primeira mulher do presidente molusco na cinebiografia do semi-analfabeto-sem-um-dedo. Isso sem falar no papel ridículo da indiana que fala português com sotaque carioca e não consegue procriar.

A gata bateu, numa árdua disputa, as não menos gatas Juliana Paes e Gisele Itiê, e levou o papel de brazilian babe no filme The Expendables, batizado aqui Os Mercenários, badalado arrasa-quarteirão-porradaria escrito, dirigido e atuado por Sylvester Stallone, e que vai ser rodado em breve em terras brasilis. Vai contracenar com os casca-grossas Mickey Rourke (esse madurinho para ganhar o Oscar por O Lutador), Jet Li, Jason Stathan (este cara é fodão, é aquele inglês da série Carga Explosiva) e Dolph "Ivan Drago" Lundgren. A pancada vai comer solta e descontrolada. A pergunta que não quer calar é: qual destes animais vai pegar a Cléo?

Curiosidade sobre este filme: Stallone chamou Jean Claude Van Damme para fazer mais um dos cascudos do filme. O belga, num surto psicótico, teve um desvio de personalidade, achou que era o Al Pacino e perguntou sobre a "essência" do seu personagem. "Quais suas motivações?", quis ele saber. Sly, incrédulo, respondeu que muita porrada iria ser distribuída e que todos iriam ganhar muito dinheiro. Mais honesto, impossível. Amuado, Van Damme recusou. De besta que foi. Como muito bem disse o site Omelete, agora o otário vai ficar parado até que algum alucinado o chame para fazer Shakespeare em palcos londrinos.

Se você só tem grana para uma revista de mulher pelada este mês... III!

Assim como em janeiro o tema corrente de todas as revistas nacionais é o verão, em fevereiro a obsessão é o carnaval. Playboy e Sexy cairam nesta armadilha da fácil assossiação e publicaram revistas tediosas, com generosas doses de silicone e muita camada adiposa em regiões calipígias. Não que eu não goste, por favor. Peitões e bundões têm seu valor. Mas é que essas "musas" do Carnaval parecem todas iguais, em especial quando vestidas de plumas, paetês e tapas-sexo. As co-irmãs menos explícitas, VIP e Maxim, apostaram em meninas mais, digamos, sofisticadas. Aprovo totalmente a escolha. Fiorella Matheis - confesso que desconhecia a moça, aquela novela definitivamente não era minha Favorita - é uma gracinha. Mas a capa está melhor que o conteúdo, promete muito e cumpre só um pouco. Do resto da VIP, só se salva uma surpreendente coluna do homem do U2, Bono Voz (!), que escreve com certo talento sobre sua admiração por Frank Sinatra. Muito pouco para R$ 9,99.
Já a Maxim mandou muito bem. A Daniela Sarahyba dispensa qualquer comentário. Esta menina enlouquece a homarada desde que tinha 14 anos. Lembram dela com o Márcio Garcia? E, na entrevista que acompanha as fotos, normalmente um apanhado de abobrinhas totalmente dispensáveis, a moça me sai com uma ótima. Disse que a melhor cantada que já recebeu foi quando era bem novinha, mas já um avião descomunal, e um quarentão chegou nela e disse: "Dani, você é muito linda. Mas tem a idade do uísque que eu bebo". Sensacional. Essa eu queria ter dito. Mas a Maxim não ficou por aqui. Muito legal a matéria sobre os hotéis preferidos dos ídolos do rock. Muito vômito no tapete, sexo no corredor e televisões jogadas pela janela. Fiquei com muita vontade de conhecer o Chelsea, em NY. Tem entrevistas com figuras do naipe de Samuel L. Jackson, Zé do Caixão e Maguila. Precisa mais? Então tem. Um ensaio com a Anna Kournikova. Simplesmente monumental.

Este mês, definitivamente seu suado dinheirinho deve ir para a Maxim.

Parabéns à Maxim, que venceu duas das três edições do utilíssimo "Se você só tem grana para uma..."!

Até março, que promete BBBs peladas! Não percam por esperar!

Meu presidente

FHC quer liberar o THC para a galera. Aposto que o Lula e a Dilma são contra. FHC para presidente! Gabeira para governador! Fausto Fawcett para prefeito!!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Lembranças de guerra

Ando muito 80's nos últimos dias. Conversava na noite de ontem com um amigo sobre amenidades quando, sei lá porque, falamos do WAR, clássico jogo de estratégia da Grow que é sucesso há várias gerações. Eu era totalmente viciado nessa pôrra. E levava isso muito à sério. Os embates duravam uma eternidade. Um dos grupos com quem joguei se especializou tanto na parada que era quase impossível alguém sair vencedor. Lembro-me de um dia que, exaurido pela batalha que já durava trocentas horas, e um tanto pressionado por uma impaciente namorada, alguém (talvez até tenha sido eu, este ponto não está claro em minha deteriorada memória) pediu um cessar-fogo até o dia seguinte. Com alguma resistência, e após muita negociação, foi selado um acordo entre os generais, desde que se fizesse um censo detalhado de exércitos e ocupações, para garantir a lisura do combate que reiniciaria ao alvorecer. Algumas vezes a guerra ameaçava passar do tabuleiro à vida real. Um dado mal jogado, uma peçinha desaparecida, o caldo entornava, e as vias de fato só não aconteciam porque as forças de paz da ONU, mais conhecidas como a turma do deixa-disso, entravam em ação para apaziguar.

Bons tempos. Mais tarde, com a pressão exercida pelas companheiras, tivemos que migrar para jogos mais sociáveis como Master, Imagem & Ação, Perfil, e similares. Mas engana-se quem acha que estes jogos eram menos violentos que o War. Com seis casais jogando, homens contra mulheres, uma partida de Imagem & Ação pode se tornar uma batalha campal. Mas isso eu conto noutro dia.

P.S.: A foto acima é de uma das inúmeras versões modernas do jogo. A que eu jogava era aquela espartana, sem fru-frus, cuja capa era toda preta com as letras WAR gritando em branco no centro. Mas faz tanto tempo isso que acho que não há mais registro fotográfico fora de museus ou sítios arqueológicos.

Tenha medo

Sexta treze. Segundo os supersticiosos, dia de assombrações e coisas tenebrosas... Não sei se foi coincidência, mas marcaram justamente para hoje uma uber confraternização de ex-escra... her... funcionários de uma grande empresa onde trabalhei. A julgar por algumas figuras que conheci por lá, não me parece coincidência. Está mais para conspiração do destino.

A bandidagem correu solta

Desta vez o Mengão não foi bafejado pela sorte nem pela caridade de árbitros e auxiliares. Sem nenhum golzinho salvador no final, o misto quente rubro-negro deixou dois pontos se esvairem para Saquarema. O Botafogo passou o rodo no Friburguense e o clássico vai esquentar para ver quem fica em primeiro do grupo.

Do outro lado da tabela, vergonha e rapinagem generalizada. Vamos começar com o que aconteceu em campo. O mal-intencionado que apitou o jogo do Asco da Gama meteu a mão na Cabofriense: expulsou dois jogadores, deixou de dar um pênalti claro pro time da região dos Lagos e ainda assim o Asco não saiu do zero a zero. Fora de campo, o tungado foi o time da Colina. Como bom flamenguista, eu quero é mais que estes bacalhaus se explodam. Mas discordo frontalmente destas punições que subvertem os resultados de campo, desmoralizam o campeonato e desmotivam o torcedor. Tirar seis pontos dos caras por causa de um jogador irregular é um absurdo. Sim, sei que está no regulamento. Mas o regulamento é burro, fazer o quê. Punição mais justa seria pecuniária (a pior dor é a do bolso, principalmente quando se está duro) ou a impossibilidade da escalação do jogador em questão por uma quantidade x de rodadas - o cara jogou um jogo irregular, fica cinco sem entrar em campo. Assim, prejudica-se menos clube e torcida.

OK, acabo de fazer o impensável: defendi aquela corja que vem de São Januário. Mas princípios são princípios, e o que é justo, é justo. Frase brilhante essa. Super criativa. Desculpem-me, digressiono. É o adiantado da hora.

Voltando à bola rolando, que é o que interessa. A tricolada, que já estava vendo a taça GB pelo binóculo, foi ressucitada pelo TJD e pelo pilantra que apitou o jogo de ontem contra o Americano. Que absurdo o que este rapaz fez em campo. Fernando Henrique socou um jogador do Mecanão de Campos dentro da área. Acertadamente, o juiz deu pênalti. Erradamente, deu só cartão amarelo ao goleiro meliante. Agressão, juizinho covarde, é chuveiro mais cedo. Tudo bem. Só que o trabalho dele não estava completo. O zagueiro do Americano tentou dar uma bicicleta dentro de sua própria área e encontrou no meio um desesperado Fernando Henrique querendo consertar a lambança que havia feito minutos atrás. O coitado do beque nem viu que FH se aproximava. Ou seja, não houve dolo, sim imprudência. Jogo perigoso, certo? Errado. Pênalti, segundo cartão amarelo e rua para o jogador campista. Assalto à mão armada, flagrado pelas câmeras de segurança, digo, de tevê. Gol, terceira colocação e esperanças renovadas para o tricolor da terceira divisão.

O que mais me revolta, senhoras e senhores que tiveram paciência de ler este post até aqui, é a absoluta falta de vergonha na cara que esta canalha que trabalha nas Laranjeiras possui. Está marcada na história deste clubinho sem expressão a cena dantesca de sua diretoria brindando com champagne a virada de mesa orquestrada pelo escroque Eurico Miranda que permitiu que as dondocas voltassem a conviver injustamente com a elite do futebol. Ontem, após a desonrada vitória, o goleirinho safado, protagonista da indecência, posava de herói, quando deveria estar no vestiário agradecendo aos céus pela ruindade, vilania e incompetência das arbitragens cariocas. "Deus me perdoou", disse ele. Não, safado, Deus não tem nada a ver com isso. Foi um juiz tão safado quanto você que te absolveu. E a teu time desqualificado.

Em tempo: quando o Fla foi claramente beneficiado naquele que foi "o impedimento mais mal marcado de todos os tempos", segundo a grita da imprensa e de todo o mundo do futebol (e que eu acho foi mesmo), um certo lateral esquerdo chamado Juan declarou, no dia seguinte ao jogo: "Ninguém gosta de ganhar assim. Claro que o jogador não estava impedido". Isso é ser homem, tricolada.

Odeio gente mau-caráter.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Que maldade!

Suspeito de terrorismo diz que foi torturado com sexo selvagem

Um suspeito de ter participado dos ataques terroristas que mataram 173 pessoas em novembro do ano passado em Bombaim, Índia, denunciou ter sido torturado com sexo selvagem. Fahim Ansari disse que uma agente do FBI (polícia federal americana) fez sexo com ele contra a sua vontade. O preso revelou que a americana fez um strip-tease diante dos seus olhos e abusou do seu corpo durante toda a noite, deixando marcas de mordidas e chupões.
Dependendo da agente, isso deve ter sido realmente excruciante.

Choque de realidade

Mirabolante e bilionário plano econômico confuso, mal explicado, e claramente insuficiente. Desconfiança geral nos mercados. Desemprego em disparada. Elementos da equipe de governo sendo exonerados por sonegação de impostos, por dar emprego a imigrantes ilegais. Um "I screwed up" logo na primeira semana.

A chapa do Barack já está esquentando. Deu nem tempo da lua-de-mel acabar.

Nonsense

Ainda estou bêbado. Se não se incomodam, isso ainda vai durar um pouco, misturei algumas coisas que não devia. Infelizmente, o sono não veio com a bebedeira, então quem vai sofrer é este blog. E quem se propuser a ler isto aqui, coisa que não aconselho.

Fatos interessantes aconteceram esta noite, mesmo antes da Bianca Byington de biquini. Vejamos:

O Brasil deu um pau na Itália, com propriedade. Bom porque ganhamos. Mau porque Dunga continuará técnico, contra todas as óbvias evidências.

Newton, o malvadão, foi limado do BBB9 com 72% dos votos. Bom, porque ele era o grande vilão da casa. Mau, porque ele era o grande vilão da casa. Se você não entendeu, é porque não entende ou não se interessa por BBB. Então deixa pra lá.

Estou com uma puta dor de cabeça. Não, isso não é um fato interessante. Vou tomar umas aspirinas e dormir. Até amanhã.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Nostalgia etílica

Cometerei um erro crasso para quem se aventura a escrever, qualquer coisa que seja. Escreverei bêbado. Dificilmente isso dá certo. Provavelmente esse post amanhecerá na pasta "Lixeira". Foda-se. Estou sob grande impacto da Bianca Byington de biquini. Não, não aqui comigo. Unfortunately. Ela está no Canal Brasil, na minha super tevê de plasma de um caralhão de polegadas. O filme é Garota Dourada. Uma merda. O Sérgio Malandro trabalha nele. Preciso dizer mais? Ok, esqueçam o filme. Trato aqui das deusas que nele atuam, coitadas, na época precisadas. Andréa Beltrão. Vocês costumam vê-la atualmente em A Grande Família. Bonitinha, ela. Neste filme, ela fazia uma fã nerd do Sérgio Malandro - não acredito que escrevi o nome deste cara duas vezes no mesmo dia. Tenho uma palavra para definir Andréa Beltrão neste filme. TESÃO. Casaria e teria filhos com ela, mesmo com aqueles óculos gatinha e a voz anasalada. Nunca uma atriz tão boa foi tão gostosa. O André de Biasi tinha cabelo, e comprido. Roberto Bataglin fazia o cara mau. Marina e Guilherme Arantes faziam parte da trilha sonora, e cantavam em pessoa no filme - muito Anos 80 isso. Mas nada disso importa. NADA DISSO IMPORTA. A Bianca Byington importa. Lembro-me de ter visto este filme pela primeira vez no cinema com uma namoradinha. A Bianca Byington de biquini assombrou este namoro de tal forma que ele não resistiu nem uma semana. Na minha adolescência, ela foi a mulher que eu jamais conseguiria comer. Minto. Comer alguém estava completamente fora da minha realidade. Se eu pegasse na mão da Bianca Byington, o mundo como hoje se conhece jamais existiria. Ela, e a Andréa Siqueira. Mas a Andréa Siqueira é outra história. Talvez eu conte para vocês um dia.

Hoje, a Bianca Byington é uma senhora de quase cinquenta anos. E eu nunca a comi. E nem peguei na mão dela. Que merda.

Troca-troca Brasília - Washington

Atriz pornô anuncia candidatura e agita eleições para o Senado dos EUA

Eu trocava fácil pelo Sarney e pelo Renan Calheiros.

Se é para ser fodido por um político, que seja por uma especialista bonitona como essa aí em cima.

Coração mole

A torcida do Flamengo é mesmo um poço de compreensão e compaixão pelo próximo. Exercitando sua infinita capacidade de perdoar, alguns membros mais despreendidos e caridosos da torcida contrataram, por dez mil reais, alguns travestis para homenagear o jogador Ronaldo Fenômeno quando este vier jogar no Rio. Ele não deve estar se aguentando de tanta emoção à espera deste singelo momento.

O que é bom a gente não copia...

Emenda que fixa teto para salário de executivos ganha apoio

BRASÍLIA - Líderes do Congresso demonstraram apoio à emenda que impõe um teto aos salários de executivos e dirigentes de empresas que receberem empréstimos do BNDES e de outras agências oficiais de fomento. A proposta, apresentada pela deputada Rita Camata (PMDB-ES), segue linha semelhante à anunciada no início do mês pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Os argentinos, sempre que queriam se referir a nós, brasileiros, de uma forma pejorativa, nos chamavam de "macaquitos", termo este utilizado num claro viés racista. Não sei se ainda o fazem, tenho pouquíssimo ou quase nenhum contato com argentinos, felizmente. Mas parece que, de tempos em tempos, em outro tipo de interpretação do termo, queremos fortemente dar razão a eles.

Esta nota acima é uma forte evidência disso. Esta medida inócua e demagoga foi uma grande besteira feita lá nos EUA, que vai ser mais inócua, mais demagoga e uma besteira ainda maior por aqui.

Primeiro: como é que pretendem controlar o pagamento dos executivos? Alguém aí já ouviu falar de "por fora"? E o pior nem é isso. Nem sempre, ou quase nunca, a não ser em épocas de crise generalizada como esta, grandes empresas pegam dinheiro em bancos de fomento para sanar seus problemas ou saldar dívidas. Elas o pegam para crescer, gerar mais empregos e mais lucros para seus acionistas. E isto é bom, certo, pelo menos no capitalismo liberal selvagem em que vivemos... E o Congresso, ao invés de criar incentivos para os executivos destas empresas continuarem a fazer isso, pretende desestimulá-los limitando seus salários. Muito inteligente e produtivo. E querem crescer 5% ao ano...

Façam-me o favor. O cara lá no norte quis jogar pra galera e seus seguidores sulistas de terceiro mundo querem macaqueá-lo por aqui. Espero que a equipe econômica do Lula, a única coisa que presta neste desgoverno molusco, tenha maneiras de evitar que isso aconteça.

Futebolices

Pequenas declarações no mundo da bola despertaram a minha atenção nesta segunda-feira:

Jorge Henrique, jogador cai-cai sub-sósia do Romário que foi inúmeras vezes vice-campeão aqui no Rio, cansou de mendigar migalhas em General Severiano e arrumou quem desse a ele um empreguinho em São Paulo. Deslumbrado com o trânsito insuportável e com a poluição sufocante, o anão de jardim soltou a seguinte pérola: "A rivalidade aqui é bem maior que no Rio". Pobre rapaz. Perdoai-vos, ele não sabe o que fala. Tentarei esclarecer alguns fatos da vida a este infeliz ignorante. Jorginho, filhote, você aqui foi jogador do BOTAFOGO. É apenas um degrau acima de se jogar na Cabofriense ou no Resende. Numa empresa, seria como ser promovido de estagiário a auxiliar de escritório. A pressão é minúscula, a ambição curtíssima. Quando o Botafogo perde, nada acontece. O futebol no Rio gravita em torno de um time que você sabe muito bem qual é, cujo nome não repetirei para que lembranças ruins não lhe retornem, e você fique deprimido e choroso como é bem característico de jogadores e torcedores de times desprovidos de cor na camisa. Ali, fica a gerência, a diretoria. Neste particular time de futebol de verdade, também conhecido como Nação, mata-se e morre-se por um gol, por uma vitória, por um título - desculpe, deixa eu explicar, título é quando um time chega ao fim do campeonato e torna-se campeão, talvez um dia você passe por esta gratificante experiência. Pressão, paixão, ódio, e, claro, rivalidade, ali se encontra mais que banana na feira. Mas como você poderia saber, certo? Aprenda um pouco aí no Curíntia, onde o caldeirão ferve quase que como por aqui.

Outro que perdeu ótima oportunidade de ficar calado foi nosso alcaide Eduardo Paes. Talvez estafado com o excesso de choques de ordens que vem aplicando em nossa cidade, num momento de privação de sentidos e embotamento total de sua visão político-eleitoreira resolveu desancar o Flamengo, dizendo que jamais investiria no clube porque sabe muito bem como ele é administrado.

Dudu, meu garoto. Você tem até uma certa razão ao criticar a maneira como o Fla é administrado. Só não precisava ter declarado isso aos quatro ventos para quem quisesse ouvir. Não sou seu marqueteiro, por isso o alerta a seguir não lhe custará nada. Lembre que você foi eleito (não com meu voto) por pouco mais de 50% da população desta cidade. Se você lesse meu blog (ver este post) descobriria que mais ou menos o mesmo tanto de gente (ou seja, metade da cidade) torce apaixonadamente pelo Mengão. Não é muito esperto falar mal deste time e negar publicamente apoio a ele, certo? Cesar Maia era maluco, usava casaco no verão, mas tinha juízo. Ele sempre dizia que, na pessoa física, era botafoguense doente; na jurídica, na qualidade de prefeito, um rubro-negro de carteirinha.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Plant 2 x 0 Zepp

Robert Plant parece que estava certo quando cagou na cabeça do Jimmy Page e do John Paul Jones se recusando a reativar o lendário Led Zeppelin numa tournê caça-milhões de níqueis mundo afora. O provecto vocalista, eleito por inúmeras vezes o melhor do mundo roqueiro por dez entre dez publicações especializadas, fez ontem barba, cabelo e bigode no Grammy - apenas metaforicamente, como vocês podem conferir na foto do desgrenhado senhor. Em parceria com a Alison Krauss levou 5 prêmios para a casa pelo elogiadíssimo "Raising Sand", inclusive o de melhor álbum do ano. Álbum este que eu pessoalmente achei bem chato: uma seleção de músicas folk delicadinhas demais para meus ouvidos acostumados aos estridentes trinados que Plant distribuía fartamente na época do Zepp. Ainda assim, parabéns para ele! Agora é aguardar o troco dos antigos companheiros de banda.

Mau presságio

09/02/2009 - 12h15
Corpos de 22 vítimas de acidente aéreo são enterrados em Coari (AM)
colaboração para a Folha Online


Os corpos de 22 das 24 vítimas do acidente com um avião que caiu neste sábado (7) no rio Manacapuru (a 85 km de Manaus) começaram a ser enterrados na manhã desta segunda-feira em Coari (AM) --município de onde partiu a aeronave com destino a Manaus.

Olhem que desagradável coincidência: até sexta-feira passada, ou seja, um dia antes deste lamentável acidente, eu estava determinado a ir passar dez dias de bobeira justamente na progressista Coari, indicação do meu inglesíssimo amigo Mark, que quando em vez realiza trabalhos na região. Já estava até sentindo o gosto dos tucunarés, pirarucus e tambaquis que ia degustar na erma localidade quando me deu uma certa paúra em realizar tão ousada (e cara) aventura completamente sozinho. Pipoquei da viagem e me decidi por uma região menos inóspita, aqui pertinho mesmo , no interior de Minas Gerais. Lembro-me de estar conversando com o Mark quando ele me alertou que não fizesse o traslado Manaus-Coari de avião, e sim de barco. Dizia-me ele que por causa dos chuvas voar naqueles temerários bimotores era "um pouco arriscado". É. Quem conhece, conhece.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Ufa!

Mais um golzinho na bacia das almas e o Mengão continua 100%. O futebolzinho tá pequeno, mas a sorte...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Pérola

Eu não vi, mas quinhentos funcionários meus viram e me contaram: mandou muito ontem aqui no Circo Voador a bandinha Little Joy, dos ex Los Hermanos e Strokes Amarante e Fabrizio "Comi muito a Drew Barrymore" Moretti. Desde já candidatíssima à musa da temporada, a vocalista e atual namorada do Moretti (vai pegar bem assim lá no inferno) Binki Shapiro arrebenta. Segue aí uma palhinha do talento da moça e dos caras:

http://www.youtube.com/watch?v=Qs6WFMJGxE8&feature=related

E por falar em stripper...


Vocês acham este blog espirituoso, criativo, bem escrito? Sinto muito, amigos, mas vocês não sabem de nada. Esta moça aí em cima mantém um muuuuuuuuuuuuito melhor, desde 2003. E terminou ganhando um Oscar.
Diablo Cody, nomeada Brook Busey ao nascer, veio ao mundo em 1978 em Illinois, USA. Viveu como uma espécie de patricinha nerd até os vinte e poucos anos, até que se meteu no underground e virou stripper. Graduada na Universidade de Iowa, é escritora de mão cheia e roteirista oscarizada pelo filme-sensação do ano passado, Juno (os incautos infelizes que não viram, aproveitem, estréia dia 14 no Telecine Premium).
Não deixem, repito efusivamente, NÃO DEIXEM de ler este livro da foto acima. É ácido, irônico, e muito, muito engraçado. É tudo que eu queria ser se fosse uma mulher gostosa. Só não contem com o meu exemplar: este não vendo não troco não empresto não dou.
Atenção especial na lista da moça das dez melhores músicas para se fazer um strip: só sossego quando conseguir dez mulheres, dez strips, para estas dez músicas. Custe o que custar.

Paraíso

Stripper brasileira é queimada na Califórnia e está em estado grave

Uma brasileira, mãe solteira e stripper foi queimada do lado de fora da boate de adultos onde trabalhava na Califórnia

Fazer graça em cima de um crime escroto como esse não é muito legal. Mas não resisto, desculpem-me. Sabem o nome desta boate onde ela trabalhava?

Babes N' Beer Sports Bar.

Se fizer juz ao nome, é o melhor bar do mundo de todos os tempos. Mulheres tirando a roupa, cerveja e esportes, tudo num mesmo ambiente? Eu não frequentaria este lugar. Eu moraria dentro dele.

De onde menos se espera...

Aparentemente alguém ainda tem vergonha na cara em Brasília. Parece que vão tomar da raposa a chave do galinheiro. O sultão vai voltar pro seu castelo ainda biliardário, mas com o rabinho entre as pernas. Será uma luz no fim do túnel?

Tricolinho vitaminado

Tiago Neves e Fred? Agora babou. Ficou esquisito. Cuca, se tu não abrires o olho vais ficar mais um ano na fila.

Espiadinha


Meus amigos sabem que uma das minhas maiores falhas de caráter é que eu simplesmente adoro BBB. É embaraçoso admitir. É mesmo uma vergonha. Mas fazer o quê, tenho que ser honesto comigo mesmo. Pago pay-per-view, voto pra eliminar, opino no Big Boss, torço contra os vilões e compro todas as revistas de mulher pelada com ex-BBBs na capa. Se você não faz parte desta legião de descerebrados que amam este sub-programa da Globo, passem ao post abaixo, por favor. Farei aqui algumas observações de especialista sobre a edição atual, a nona de uma infinidade, espero eu.

a) O carioca Max é meu favorito para ganhar o prêmio. O cara é esperto, é cool, é divertido, e se ganhar, aumenta o PIB da Cidade Maravilhosa em um milhão. Chega de paulista ganhando dinheiro fácil;
b) Todo BBB tem pelo menos uma gostosa vagaba. Seguindo a clássica linhagem de Sabrina, Tati Rio e Fani, este ano temos Priscila. Com sua generosa silhueta de mulher-fruta é, seguramente, a principal inspiração masturbatória da casa;
c) Pelamordedeus, Boninho, desiste desta história de colocar terceira idade no programa. Cada vez que aquela véia abre a boca eu tenho vontade de desconectar minha tevê a cabo. A mulher é porca, mal-educada, totalmente sem noção, e, obviamente, e não apenas devido ao avançado da idade, medonhamente horrorosa. Se a intenção é assustar criancinhas para mantê-las longe do BBB, missão cumprida: Naná é um mais que perfeito espantalho;
d) Já teve sexo na edição deste ano. E eu não estava vendo, putaquilpariu. Reza a lenda que o bicho pegou entre Ralf e Milena. Tudo bem, não é o casal maaaais sexy já visto no programa. Mas putaria é putaria, e no fim das contas é pra isso que serve o BBB. Vou atravessar as próximas madrugadas em claro à espera do próximo piço;
e) O vilão da vez, o micheteiro Newton, além de malvadão é uma mala de elevadíssimas proporções, sem alça nem rodinha. Nem a peguete dele, a Josi, outra mala, está aguentando mais o cara. Só se salva do próximo paredão se a véia for junto. Essa não fica na casa nem que eu tenha que ficar na internet o dia inteiro votando pra ela sair;
f) Assim como a Gostosa Vagaba, outra personagem constante em BBBs é a Coitadinha Deprimida. Nada para ela está bom. Fica choramingando pelos cantos, reclama de tudo, morre de saudade da mãe, do pai, do hamster de estimação. Quando vai pro paredão, surta de maneira quase psicótica ao ver a família na platéia. Nesta edição, temos a melancólica Ana Carolina. Tudo que ela quer da vida é ter seus cachorros de volta. Depois de ver a si própria na tevê, anda se achando uma biltra - não totalmente desprovida de razão. Só hoje, nas últimas duas horas, já perguntou 653 vezes às amigas se ela está tão gorda assim. "Nãããããoooo", respondem as outras em uníssono, com uma sinceridade de cortar o coração. Mas foi responsável por um dos melhores momentos até agora: quase foi às vias de fato com Newton porque dois de seus amiguinhos, Leo e Alexandre Mosca Morta, foram limados da casa, segundo ela, por culpa dele. Barraco é o segundo principal motivo pelo qual assisto BBB, e este foi um pra ninguém botar defeito;
g) E, para dar fim a este desnecessariamente longo post, uma dica. A melhor coisa do BBB você não encontra no BBB. O imperdível e impagável do ano está aqui:

http://bigbostabrasil.virgula.com.br/

Este blog é simplesmente hilariante, tenho cólicas renais todos os dias quando o leio. Obrigado Polly, Didi e Lele. Vocês se tornaram parte indivisível e indispensável do Big Brother. Vida longa ao Big Bosta e ao TDUD (o outro blog deles, também engraçadíssimo).

Velho e bom

Galera, não é sem uma pontinha de vergonha que eu vou postar aqui esta dica. O DVD aí do lado nada tem de novo. Foi gravado em 2005 e lançado em 2006. Confesso que não o conhecia. Encontrei-o há uns três dias numa de minhas expedições arqueológicas nas promoções da Lojas Americanas. Sempre é possível encontrar alguma rara relíquia no meio daquele monte de porcarias. Consegui fazer que o colocassem pra tocar ontem, no meu botequinho predileto. Os demais frequentadores de lá, adoradores de Brunos, Marrones, Sorrisos Marotos e quetais odiaram. Eu adorei.

O que temos aqui é o seguinte: gravaram uma série de bandas nacionais fazendo cover de bandas internacionais, tudo em clima de jam session, em estúdio. O resultado é muuuuito legal.

Destaques: Fernadinha Takai e seu Pato Fu levando Walking on Sunshine da Katrina and the Waves é uma graça; Vinnie, acreditem se quiser, não faz feio cantando Black Dog do Zeppelin; The Who não processaria sobremaneira o Tianastacia pela sua versão de My Generation; Leela tenta, mas não consegue destruir Lithium do Nirvana; Raimundos cantando B52s é meio surreal, mas o peso que colocaram em Private Idaho ficou maneiro; e minha predileta, She Loves You, dos Beatles, na versão sexy-fofa de Erica e Telecats.

Corram à LASA mais próxima e adquiram o seu!

Deeply Boring

Não sei se foi a ressaca da festa de quinta ou se tudo ficou meio paradão mesmo à espera do weekend. Nada me indignou ou divertiu o suficiente na sexta que merecesse um post neste blog. Mas meus inúmeros leitores me cobram se eu não atualizar isso aqui. Para vocês, mais afoitos, apresento-lhes todo meu tédio.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Torcidas cariocas - última pesquisa Lancenet no Rio


Estamos todos cansados de saber que mesmo juntando a arcoirisada toda não chegam nem perto do tamanho da Nação Rubro-Negra. Mas nunca é demais lembrar. Nem que seja para espezinhar.

Por Tutatis 2

Placas de gesso caem de Igreja Universal no interior de SP

Acidente foi em Campinas e havia 200 fiéis no culto, mas não houve feridos. Até as 10h15, Igreja Universal não havia se pronunciado sobre o caso.

Primeiro a Renascer, agora a Universal. Alguém no Além não anda satisfeito com os evangélicos. Vai ver foi a conversão da Regininha (ver post abaixo).

NÃÃÃOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Regininha Poltergeist vira evangélica

Depois de "incontáveis" ensaios em revistas masculinas e três filmes pornôs, Regininha Poltergeist mudou de vida. Há dois meses, a atriz se converteu à igreja evangélica Bola de Neve

Porque? Porque a vida é tão injusta??

A quem interessar possa, segue abaixo a "despedida" da moça. Deixa uma legião de fãs desolados. Amém, Regininha. Amém.



Custa a bagatela de 25 milhões de reais

São 36 suítes com hidromassagem, distribuídas em oito torres com inspiração medieval, salões para festas, sauna, piscina, lagos para pescaria e estrutura para golfe.

Esta humilde moradia aí do lado é de algum príncipe arábe? Do David Beckham? De algum astro de rock?

Não. É de um deputado brasileiro, filho de um carteiro e de uma professora primária, que se aposentou como capitão da PM. Depois virou "político profissional" e o resultado é isso que vocês estão vendo.

O nome do sultão é Edmar Moreira, do DEM da Bahia. Ele foi recém promovido a corregedor da Câmara.

Não, isso não é piada. E se fosse, seria de extremo mau gosto.

A hora do pesadelo


85% de aprovação. Nuncanahistóriadessepaís se viu tamanha popularidade.

Nós, dos 15% restantes, estamos cada vez mais sós. E minguando.

Só nos resta aguardar o fim desta era de trevas. Se é que um dia ele virá.

De quatro a gente gosta

Teve gol de estreante, de goleiro, e dois de caras que vieram do banco. O segundo tempo deu gosto de se ver. Ibson e Jônatas jogaram futebol de gente grande. Finalmente o ano começou pro Mengão. Imaginem quando esses caras começarem a receber salário...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Só?

Obama limita remuneração de executivos em US$ 500 mil por ano

Ainda bem que estou no Brasil. Imagina, viver só com essa merreca de pouco mais de 40 mil dólares por mês! Nem pensar...

Ficha corrida

O limitadíssimo currículo de nosso atual presidente antes de se transformar em "político profissional" limita-se a um primário incompleto e a uma desastrada experiência como metalúrgico, quando perdeu um dedo e se aposentou precocemente.

Agora ele tenta fazer sua sucessora.

Olhem o currículo dela antes de também virar "político profissional":



Bom, não?

Que saudade do FHC...



Mais um


Hoje ela entra em campo de novo. Será que desta vez vai?

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

The Day the Music Die


Há exatos cinquenta anos, em 3 de fevereiro de 1959, um acidente aéreo sacudiu o mundo da música, levando prematuramente três grandes astros em ascensão: Buddy Holly, 22 anos; Ritchie "La Bamba" Valens, 17; e, menos conhecido, J.P.Richardson, o "Big Bopper", 28.
Este acidente é envolto em mistérios, lendas sobre premonições e teorias conspiratórias. Em função da tragédia Don McLean compôs a brilhante "American Pie", canção-tributo que entrou para a história da música americana.
Para os amantes do rock, hoje é dia prestar respeito. Acabei de prestar o meu.

Favorzinho

Hebe Camargo: 'Entendi que era melhor diminuir meu salário devido à crise mundial'

Puxa, Hebe. Obrigado. Obama e o mundo te agradecem.

Hã?


O Ministro da Saúde, o sr. Temporão, autorizou a compra de 15 mil tubos de lubrificantes íntimos, para serem distribuídos aos homossexuais. O lubrificante se destina a facilitar o coito anal entre eles, diminuindo qualquer sensação dolorosa.
Preciso comentar?

Foram eles!!!!

Aí galera! Preparem o bonequinho de vodu, o papelzinho pra costurar na boca do sapo, a farofa amarela, galinha preta, cachaça braba, e/ou quaisquer outros artefatos macumbísticos de sua preferência!

O jornal britânico Times acaba de divulgar uma lista de quem ela considera os dez maiores culpados(as) pela crise econômica mundial!

Portanto, carreguem suas armas, coloquem baterias novas nos seus sabres de luz, afiem sua espadas ninja e vamos cair de pau nestes fiodumaégua!

10o.) Angelo Mozilo, ex-diretor da Countrywide (maior financiadora imobiliária dos EUA), acusado de empurrar crédito para quem não poderia pagar; enquanto isso recebia um salário anual de US$ 470 milhões;
9o.) O ex-presidente da seguradora AIG, Hank Greenberg; levou sua companhia à bancarrota, e precisou de um resgate de cerca de US$ 150 bilhões do governo americano para manter as operações;
8o.) Ex-diretora da Standard & Poor's, Kathleen Corbet; liderava uma das agências de risco que não conseguiram prever os efeitos das hipotecas tóxicas no mercado americano. Além disso, é acusada de acreditar nas palavras dos investidores para conceder os ratings de crédito, sem analisar profundamente os riscos;
7o.) Este todo mundo conhece, e já nos livramos dele: the one and only George W. Bush! Foi o governante dos EUA durante o período de crescimento do crédito e da crise do sub-prime, mas não assumiu qualquer responsabilidade por isso. Para ele, foi tudo culpa dos banqueiros de Wall Street;
6o.) O parceiro número 1 da America, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown. Teria previsto a crise há dez anos durante uma palestra em Harvard, mas fez pouco para evitá-la. Brown ainda teria encorajado o aumento dos preços dos imóveis e do spread bancário;
5o.) O presidente do Royal Bank of Scotland (RBS), Fred Goodwin, que anunciou na última semana prejuízo de 28 bilhões de libras e pode ser nacionalizado em breve. O executivo assumiu o banco em 2000 e concretizou 26 aquisições em sete anos, no total de 35 bilhões de libras;
4o.) Em quarto lugar, uma dupla, fortíssima: os diretores da autoridade financeira do Reino Unido, John Tiner e Hector Sants. Os dois eram encarregados de fiscalizar os bancos do país e não conseguiram ver que instituições como o Northern Rok estavam muito dependentes de fundos interbancários;
3o.) O terceirão também é manjado, velho conhecido de quem acompanha o noticiário econômico-financeiro: o ex-presidente do Federal Reserve (FED, o banco central americano), Alan Greenspan. O economista foi responsável por cortar o juro dos Estados Unidos para próximo do zero, após a tragédia de 11 de setembro de 2001, e inundar o mercado com crédito barato e fácil. Em outubro, Greenspan admitiu que errou por ter acreditado que as instituições financeiras eram capazes de se proteger dos riscos sozinhas;
2o.) Nosso vice-campeão também é um figurão de dar gosto. Ninguém menos que o ex-secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, que permitiu a falência do Lehman Brothers e arquitetou um plano de resgate ao mercado financeiro no valor de US$ 700 bilhões - sem o efeito desejado;

E o grande campeão, candidato ao Nobel da estupidez empresarial e a Homem do Ano pela Revista Mad:

1o.) O ex-CEO do Lehman Brothers, Dick Fuld, 62 anos. O executivo liderava o banco de investimento em setembro (quando anunciou a bancarrota) e é apontado como um dos culpados por deixar o Lehman altamente exposto às hipotecas de baixa qualidade do mercado. Segundo o Times, Fuld também perdeu oportunidades de vender o banco antes da quebra, o que teria evitado a forte restrição de crédito.

Só lamento a ausência de brasileiros na lista. País de terceiro-mundo é uma merda. Nem na cagada a gente se destaca...

Só zerando a pedra e começando tudo de novo


Que o mundo está uma merda e que ninguém visto de muito perto presta isso eu já sabia faz tempo. Só que de vez em quando acontece umas coisas que extrapolam qualquer limite do razoável. Às vezes é um crime bárbaro, daqueles que você não entende como um ser humano seja capaz de cometer. Outras vezes é só estupidez elevada à potências inacreditáveis.

Donativos enviados - às centenas, talvez milhares, é bom que se reitere - ao Corpo de Bombeiros, que seriam destinados às vítimas das chuvas não importa aonde - se Santa Catarina, norte do Rio ou Minas Gerais - foram simplesmente queimados - desculpem-me, nem eu acredito no que estou escrevendo, tenho que repetir - QUEIMADOS porque não foram guardados apropriadamente e não chegaram a seu destino. Destino esse que era gente muito fodida que perdeu tudo e que precisava desesperadamente deles.

PUTAQUILPARIU. Vai ser ruim assim lá na casa do caralho. Não deu pra mandar os troços pra sei lá aonde? Dá pro primeiro orfanato, asilo, abrigo, cacete! Queimar? E só exoneraram os filhos-da-puta envolvidos nessa atrocidade! Por mim, olho por olho, dente por dente. Que façam churrasquinho dos desgraçados que ordenaram esse absurdo! E chamem os desvalidos para ver!

Cara, quando a gente pensa que já viu de tudo...

Golden boy


Com o pulmão que este rapaz tem, haja jererê pra ele ficar doidão...
Phelps, medalha de ouro em arremesso de imagem na lama...

Modéstia

Um alemão muito cara-de-pau chamado Tomas Alexander Hartmann escreveu e botou preço no livrinho aí de cima - "A Tarefa", em bom português. Segundo ele, o livro responde, em singelas 13 páginas, às principais questões da humanidade. Coisas do tipo: "De onde viemos?", "Para onde vamos?", ou "Qual é a missão real que estamos por realizar?". Pretencioso, o menino, não acham? Vocês não viram nada. Para compartilhar suas iluminadas epifanias com o resto do mundo, o guloso quer a bagatela de 153 milhões de euros pela obra-prima. E é preço de crise, hein?

Alguém se habilita?

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Eu já sabia!

Estudo do BID relaciona novelas a divórcios no Brasil

Segundo os resultados, a porcentagem de mulheres separadas ou divorciadas é maior em áreas que recebem o sinal da Globo, em particular em pequenas comunidades em que uma alta proporção da população tem acesso às transmissões da emissora.

Alguém tinha alguma dúvida sobre isso? Sempre tive a certeza de que quanto mais se vê tevê, menos sexo se pratica. Que libido resiste à altíssima exposição de gatas e gatos televisivos quando se tem ao lado na cama uma desleixada mulher de meia idade mãe de três filhos ou um contador barrigudinho e com micose na virilha? Não há casamento que resista.